terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Guaracema




Escrever sobre nomes indígenas é um desafio. Embora eles representem a cultura brasileira, sejam símbolo de uma identidade nacional, e os únicos nomes que podem ser efetivamente considerados “brasileiros”, uma vez que realmente nasceram aqui e não foram importados de outros lugares, sabemos muito pouco sobre eles. E o que sabemos, infelizmente, pode não ter embasamento etimológico nas línguas indígenas mortas.

Guaracema é um desses desafios. Segundo as fontes pesquisadas, é um nome indígena de origem tupi-guarani, que possivelmente significa “fuga das garças”. Ele é considerado exclusivamente feminino.

A maioria dos sites dá esse significado, porém, encontramos também, no Dicionário Informal, que Guaracema em tupi-guarani significa literalmente peixe que grunhe (ronca), a partir de (guara+ acema). Talvez faça sentido, se levarmos em conta a palavra “piracema”, porém, pesquisando a etimologia da palavra encontrei que o termo tem origem na língua tupi e significa "saída de peixe", através da junção dos termos pirá ("peixe") e sem ("sair").

Ou ainda, encontramos que Guaracema é um dos muitos nomes populares que se dá ao Caranx latus, uma espécie de peixe teleósteo da família dos carangídeos que habita da costa atlântica dos Estados Unidos até o estado brasileiro do Rio de Janeiro. Então, podemos concluir que a língua tupi e seus inúmeros dialetos podiam ter palavras muito parecidas que significavam coisas diferentes, e isso não melhora e nem facilita o trabalho dos linguistas.

Sua semelhança com Moema e Iracema, quanto à terminação, o torna mais notável. Porém, a terminação “Gua”, que encontramos em Guacira, mas em outro nome, que me lembre, só Guadalupe, é um empecilho, pois associamos imediatamente à algo pesado, de sonoridade arrastada. Ou então, a um topônimo, uma vez que no Brasil há inúmeras localidades e cidades nomeadas a partir de palavras indígenas, muitas delas semelhantes à Guaracema.

Guaracema, segundo o Nomes no Brasil (IBGE, Censo 2010) é o nome de apenas 23 pessoas no Brasil. Como são poucos registros, não há gráficos de frequência. 

Não encontrei nenhum registro desse nome na lista dos nomes mais registrados em São Paulo, no ano de 2015, e a mesma situação vale para o ano anterior. Deste modo, Guaracema entra para aquele rol de nomes indígenas esquecidos. Porém, também o classifico entre os nomes que podem ser recuperados, com o tempo.





.