quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Amada




Amada é um nome literal em português, que vem a ser a forma feminina de “Amado”, palavra de significado óbvio. O Behind The Name, que evidentemente é um site em inglês, coloca como derivado do latim “amatus”.

Em inglês, temos ainda Amy, Ami, Amie, em francês há Aimée, e em francês medieval Amée. Além desses, há a versão italiana Amata, que não fica muito bem em português.
Em português, Amada vem a ser um adjetivo, relativo à uma pessoa que é o destinatário de uma ou mais pessoas. É aquela pessoa pela qual se sente muito amor, carinho ou paixão. Em suma, uma pessoa muito querida, adorada. Acredito que seja um dos adjetivos que mais aparece em poesias, músicas e dedicatórias amorosas.

Assumindo que uma filha é muito amada pelos seus pais, mesmo antes de chegar ao mundo, é um nome que tem muito significado. Imagine que momento ímpar aquele de explicar para sua filha o que significa o seu nome e por que o escolheram! Como já diria Sigmund Freud, “Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada!”

Além disso, como se trata de um literal em português, temos um nome que pode ser enquadrado na categoria hippie. Logo, quem gosta desse estilo de nome encontra aqui uma excelente alternativa.

Quando eu era mais nova, e ainda escrevia histórias à mão em cadernos de espiral, tinha usado Amada para uma personagem, que seria uma espécie de feminino de Jesus. Não foi por acaso: fico pensando que se Jesus fosse mulher, ao invés de ter nascido homem, seu nome seria algo como Amada (em hebraico, claro, já que não poderia ter um nome em latim naquela época).

A única vez que eu vi esse nome fora das minhas próprias histórias foi na novela “As filhas da mãe”, exibida na Globo em 2001, onde Regina Casé interpretava Rosalva, uma nordestina mãe de quatro filhos, que fica viúva na cidade de São Paulo, cuja filha mais nova se chamava Amada, sendo interpretada pela atriz Ana Beatriz Cisneiros. Embora eu lembre bem que o personagem era Amada, e o próprio Gshow coloque assim, a maioria das fontes sobre a atriz colocam que o nome era “Amanda”.

Aliás, acho Amada bem mais original e inusitado do que Amanda, que tem o mesmo significado, mas é milhões de vezes mais popular. Basta ver que Amada não teve nenhum registro em São Paulo (Arpen/SP, 2015), enquanto Amanda teve 1020 registros.

Na Wikipédia italiana encontramos algumas santas com o nome Amata: Santa Amata Talida, de Tebas, virgem e religiosa; Beata Amata de Bolonha; Beata Amata de Quran, sobrinha de Santa Clara de Assis, religiosa, que também foi conhecida como Amata de Martinho de Cocorano. Segundo a história, Amata nasceu em Cocorano, um castelo no caminho de Assis para Gúbio. Deixando o noivo e as núpcias que seriam realizadas em breve, ingressou no convento de São Damião em 1227. Doente, foi curada por Santa Clara.

Já na Wikipédia portuguesa, encontrei Rita Amada de Jesus, nascida Rita Lopes de Almeida, que foi uma beata portuguesa e fundadora do "Instituto das Irmãs de Jesus Maria José".



.