domingo, 13 de novembro de 2016

Aniceto



Aniceto é um nome desaparecido de todas as listas de registros, e preso dentro dos livros antigos e empoeirados. Perguntando à uma amiga que me acompanha aqui enquanto estou escrevendo, maldosamente me disse que é um nome que se encontra apenas em obituários. Não acho que a situação seja tão calamitosa, mas realmente precisamos admitir que Aniceto é um nome há muito abandonado e que não consta nos registros nem das últimas décadas ou pelo menos, das últimas duas ou três gerações.

Esse nome é a forma espanhola, italiana e portuguesa de Anicetus, que é a forma latinizada do grego Ανικητος (Anikitos), que significa "inconquistável". Este foi o nome de um dos primeiros papas da Igreja Católica. Em grego moderno, temos a variante Aniketos. Em outras línguas temos: Anizeto (basco), Anicet (francês), Anikets (letão), Anicetas (lituano), Aniket (russo), Anicét (húngaro).

Na mitologia grega, Aniceto era um dos filhos de Hércules e Hebe. Na Itália, seu uso é escasso, mas é sustentado pela adoração à Santo Aniceto, que foi o décimo primeiro papa católico, entre 154 e 166. mas raramente registrado na atualidade.

Acho que o principal ponto que desabona Aniceto para mim é a semelhança com a palavra “inseto”. Dizendo rápido Aniceto, parece que sai realmente “inseto” e isso é um prato cheio para bullying, um mal desnecessário que pode ser evitado, pelo menos em partes, por algumas medidas cuidadosas. Escolher um nome pouco propenso a bullying é uma delas.

Não nomes com a terminação semelhante registrados nas listas da Arpen/SP disponíveis, e o nome remotamente parecido seria Anacleto, que também anda esquecido no limbo dos nomes. É um nome que nos torna difícil encontrar argumentos para gostar ou pelo menos simpatizar, pela distância que se encontra dos nomes usados hodiernamente.

Referências:

Aniceto, papa e santo;
Aniceto Arce, político e empresário Bolívia;
Aniceto Ferrante, bispo católico e escritor italiano;

Aniceto Koplin, religioso alemão.



.