segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Gandalf

.


Eu estava pesquisando por outros nomes na lista de nomes registrados no Estado de São Paulo, fornecida pela Arpen/SP, quando encontrei um nome que me surpreendeu completamente: Gandalf. Apesar de ser fã de Senhor dos Anéis, e até gostar muito de alguns nomes de lá, como por exemplo, Galadriel, nunca passou pela cabeça usar nenhum deles na vida real.

Porém, esses pais, que segundo a Arpen/SP de 2015, registraram seu filho como Gandalf, foram longe no seu amor literário por Tolkien. Gandalf, chamado de Gandalf, o Cinzento, e mais tarde, Gandalf, o Branco, é um personagem fictício, sendo um Mago Istari, pertencente à raça dos Maiar, espirito angelical do mundo Tolkienano. Ele vai à Terra Média, incorporado num velho, para se rum dos conselheiros dos homens e impedir que a escuridão voltasse.

Mesmo quem não foi muito longe na leitura dos livros, e só assistiu os filmes “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”, se apaixona facilmente por Gandalf, que tem alguns momentos notáveis e frases de muita sabedoria.

Mas, colocar esse nome em um filho? Uma criança brasileira? Isso que eu chamo de ousadia.

Gandalf significa “duende de varinha”, no norueguês antigo, com a combinação de Gandr (varinha, bastão) e álfr (elfo). Este nome não foi inventado por Tolkien, como outros que ele usa, pois aparece no Völuspá, um manuscrito escandinavo do século XIII, que faz parte da Edda poética.


O pequeno Gandalf que nasceu em São Paulo é o único no território paulista e provavelmente o único no território brasileiro: Não há dados sobre Gandalf no IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010).

E você, daria ao seu filho o nome do seu personagem favorito?  




.