terça-feira, 21 de março de 2017

Karen


.


Karen é um diminutivo dinamarquês de Katherine. É usado como nome feminino na Dinamarca, na Noruega, na Alemanha e nos países de língua inglesa, mas também foi amplamente adotado pelos falantes de língua portuguesa e espanhola. Passou a ser usado com mais frequência em países anglófonos depois da década de 30.

Katherine (Catarina) vem do nome grego Αικατερινη (Aikaterine). A etimologia deste nome não é consensual e frequentemente é debatida: 1) poderia derivar do nome grego Εκατερινη (Hekaterine), que veio de 'εκατερος (hekateros)Cada um dos dois”; 2) por outro lado, ele poderia derivar do nome da deusa Hécate; 3) poderia ainda estar relacionado com αικια (Aikia), "tortura"4) Ou pode ser de um nome copta que significa "minha consagração de seu nome". 5) No início da era cristã tornou-se associada com a palavra grega καθαρος (katharos) que significa "puro". A partir daí a grafia latina foi alterada de Katerina para Catarina para refletir isso.

Karen também pode ser um nome masculino, sendo uma transcrição ocidental armênia do nome Garen, que é um nome masculino, forma curta de Garegin, um velho nome armênio de significado desconhecido. Nos Estados Unidos, Karen aparece no ranking masculino até 1959. A Wikipédia italiana destaca que Karen é um diminutivo de Garegin via outra transcrição ocidental: Karekin.

Outros idiomas: Aikaterine (em grego antigo), Katalin, Kattalin (basco), Katsiaryna (bielorrusso), Katarin, katell (bretão), Ekaterina, Katerina (búlgaro), Caterina (Catalão), Katarina, Ina, Kata, Kate, KATICA, Tina (croata), Kateřina, Katka (Checo), Cathrine, Katarina, Kathrine, Katrine, Caja, Carina, Ina, Kaja, Karen, Karin, Karina, Katharina, Katja, Trine (dinamarquês), Catharina, Katelijn, Katelijne, Katrien , Katrijn, Katrina, Cato, Ina, Karin, Katinka, Katja, Rina, Rini, Riny, Tina, Tineke, Trijntje (holandês), Caitlin, Catherine, Cathleen, Katherine, Kathleen, Katrina, Caelie, Caetlin, Caileigh, Cailin, Cailyn, Caitlyn, Caleigh, Caren, Caryn, Cate, Catharine, Catherin, Catherina, Cathryn, Cathy, Cayley, Kae, Kaelea, Kaelee, Kaelyn, Kaety, Kailee, Kailey, Kailyn, Kaitlin, Kaitlyn, Kaitlynn, Kaleigh, Kaley, Kalie, Kalyn, Karen, Karena, Karin, Karina, Karyn, Kat, Kate, Katee, Katelin, Katelyn, Katelynn, Katey, Katharine, Katharyn, Katherina, Katheryn, Katheryne, Kathi, Kathie, Kathlyn, Kathryn, Kathy, Katie, Katlyn, Katriona, Katy, Kay, Kaye, Kayla, Kayleah, Kaylee, Kayleen, Kayleigh, Kayley, Kaylie, Kaylin, Kayly, Kaylyn, Kaylynn, Keighley, Kerena, Kit, Kitty, Trina (Inglês), Kadri, Katariina, Katrin , Kaia, Kaisa, Kaja, Kati, Riina, Triinu (Estónia), Katariina, Katriina, Kaarina, Kaija, Kaisa, Karin, Kata, Kati, Katri, Riina (finlandês), Catherine (francês), Nienke, Nine, Nynke ( Frisian), Ekaterine, Eka (Geórgia), Katarina, Katharina, Katherina, Katrin, Katrina, Carina, Cathrin, Catrin, Ina, Karen, Karin, Karina, Katarine, Katharine, Käthe, Kathrin, Katinka, Katja (alemão), Aikaterine , Katerina, Katina (grego), Kakalina, Kalena (havaiano), Kateri (História), Katalin, Katarina, Kata, Katalinka, Kati, Kato, Kitti (húngaro), Caitlin Caitlin, Caitríona, Cathleen, Catriona, Kathleen, Cait , Caitria, Catrina, Ríona (irlandês), Katerina (Late Roman), Ina (Limburguês), Kotryna, Katre (lituano), Ekaterina, Katerina, Katina (macedônio), Cateline (Medieval francês), Cathrine, Katarina, Kathrine, Katrine , Carina, Ina, Kaia, Kaja, Karen, Kari, Karin, Karina, Karine, Katharina, Katja (norueguês), Katarzyna, Karina, Kasia (polonês), Catalina, Catina, Ecaterina (romeno), Ekaterina, Jekaterina, Yekaterina, Karina, Katenka, Katerina, Katia, Katya (russo), Caitriona, Catriona, Catrina (escocês), Katarina (sérvio), Katarína, Katka (eslovaco), Katarina, Kaja, Katica, Katja (esloveno), Catalina (espanhol), Cathrine, Catrine, Katarina, Katrin, Katrina, Cajsa, Carin, Carina, Catharina, Ina, Kai, Kaj, Kaja, Kajsa, Karin, Karina, Katharina, Katja (sueco), Kateryna (ucraniano), Catrin, Cadi (Galês).

Sua popularidade no mundo é bem pronunciada. Nos Estados Unidos, ele aparece no ranking de 1000 nomes mais usados há décadas, e em 2015, manteve-se na posição 504. Entre 1951 e 1968 estava entre os dez nomes mais usados para bebês nos Estados Unidos. Também está (ou já esteve) no ranking da Inglaterra, Canadá, Chile, França, Islândia e Noruega.

A sua propagação em todo o Ocidente pode ter sido ajudada pela personagem chamada Karen da série de televisão “Mulher Maravilha”. Há também a possibilidade de muitos dos usos de Karen se deverem, até o século XVIII, ao nome bíblico Keren-Happuch, que significa, em hebraico, literalmente, “Chifre de Antimônio”, o nome da terceira filha de Jó (Jó, 42:14). Algumas fontes dizem que significa “vidro de colírio”. Já outras fontes, apontam que:

Querém-Hapuque: [possivelmente: Chifre de Pintura Preta (Para os Olhos) [quer dizer, recipiente para maquiagem]]. Terceira e mais jovem das filhas nascidas a Jó depois que sua grande provação e sofrimento haviam terminado e Jeová o abençoara. (Jó 42:12-14) O nome pode sugerir belos olhos, ou pode indicar sua grande beleza geral, visto que “não se achavam em todo o país mulheres mais bonitas do que as filhas de Jó”. (Jó 42:15) O antimônio, uma substância metálica branco-azulada, produz uma cor preta brilhante que era usada pelas mulheres orientais dos tempos bíblicos para tingir os cílios e talvez as sobrancelhas, ou era usada para delinear os olhos, fazendo-os parecer grandes e brilhantes. — Veja 2Rs 9:30; Je 4:30.

No Brasil, Karen é um nome típico dos anos 80. Ao todo são 68.230 pessoas chamadas Karen no país, segundo o IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010), ocupando assim o 226º lugar entre nomes femininos mais usados entre o período de 1930 a 2010. O estado de destaque é São Paulo, embora haja pessoas com esse nome em todo o Brasil. Caren, uma grafia pouco charmosa a meu ver, tem 11.241 pessoas em todo o Brasil, mas nesse caso, o estado de destaque é o Rio Grande do Sul. A esmagadora maioria das mulheres chamadas Karen nasceram nos anos 80, e estão na casa dos 30 anos agora.

Em termos de registros recentes, vemos que Karen é bem menos usado do que em outros tempos, mas não ficou totalmente esquecido. Se tomarmos como exemplo a lista da Arpen/SP, há 119 registros em São Paulo no ano de 2015, somados à 7 registros de Caren. O que significa, provavelmente, que continuam nascendo muitas menininhas chamadas Karen no Brasil nos outros estados, embora não disponhamos desses dados.

Karen também é um grupo étnico presente na Birmânia, Tailândia e Índia. Geograficamente falando, Karen é um subúrbio de Nairobi, no Quênia, e um outro nome dado à cidade de Hualien, em Taiwan.

Referências:

Karen Allen, atriz norte-americana;
Karen Andersdatter, condessa dinamarquesa;
Karen Black, atriz norte-americana;
Karen Blixen, escritora e pintora dinamarquês;
Karen Carpenter, cantora e baterista americana;
Karen Elson, supermodelo e cantora britânica;
Karen Gillan, atriz escocesa e modelo;
Karen Holtsmark, pintora norueguesa;
Karen Mok, cantora e atriz chinesa;
Karen Morley, atriz norte-americana;
Caren Metschuck, nadadora alemã.


Fontes:
Torre de Vigia – Queren-Hapuque
Karen (1), Behind the name. 
Keren Happuch, Behind the name. 
Garegin, Behind the name. 

Karen. Wikipédia italiana. 





.