segunda-feira, 5 de junho de 2017

Viriato

.


Um nome bastante usado para personagens de novela, especialmente aqueles caricatos ou os vilões, mas aparentemente, um nome pouco usado na vida real. Viriato não é popular no Brasil, em nenhuma geração da qual se tenha dados confiáveis disponíveis, muito menos na que nasce nos dias de hoje.
De qualquer modo, é um nome bastante patriótico para os portugueses, afina, Viriato foi um dos líderes da tribo lusitana que confrontou os romanos na Península Ibérica no século II a.C. O nome provavelmente vem do latim Viriathus ou Viriatus, possivelmente derivado de “viriae”, que significa “pulseira, bracelete”.

Várias teorias são consideradas quando se refere à etimologia do nome de Viriato, conforme o que encontramos na Wikipédia portuguesa. O nome pode ser composto de dois elementos: Viri e Athus. Viri pode derivar:

Da raiz Indo-Europeia *uiros, "homem", relacionada com força e virilidade;

Do Celta *uiro- 'homem'; e das formas mais antigas vírus, viri, viro, viron das quais deriva a antiga palavra para homem em Irlandês Antigo;

De *uei-, como em viriae ou a "bracelete torneada" Celtibera usada pelos guerreiros (Pliny XXIII, 39);

Do Latin “viri” que significa homem, herói, pessoa de coragem, honra e nobreza;

A elite celtibérica autodenominava-se de uiros ueramos o 'homem mais alto' (alteza) o equivalente latim seria summus vir.

Muitos sites de significados associam o nome Viriato com a palavra “viril”. No Brasil, é o nome de apenas 516 pessoas do sexo masculino, de acordo como o IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010), durante todo o período da pesquisa (1930-2010). O estado de destaque é o Amazonas, e o nome teve dois picos de registros, o primeiro em 1950 e o último nos anos 2000.

Referências:

Viriato Correa, foi um jornalista, escritor, dramaturgo, e político brasileiro.
Viriato Figueira da Silva, foi um compositor, flautista e saxofonista brasileiro.
Viriato Teles, é um jornalista e escritor português. Trabalhou nas redações de diversos jornais e revistas e participou como autor, repórter e editor em diversos programas de rádio e televisão.
Viriato Clemente da Cruz, foi considerado um importante impulsionador de uma poesia angolana, nas décadas de 1940, 1950 e 1960, e um dos líderes da luta pela libertação de Angola. 





.