quarta-feira, 12 de julho de 2017

Charline

.

Charline é um nome que possui 844 representantes no Brasil, segundo dados do IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010) entre 1930-2010. Não é um número muito expressivo, mas temos destaque nos estados do Rio Grande do Sul (243 delas) e Santa Catarina (116 delas). Os dados também nos informam que a década de maior número de nascimentos foram os anos 90, quando nasceram quase 400 meninas do total. 

Além de Charline, temos a grafia Charlyne (23), Sharline (96) e Sharlyne (20). Das grafias com registros menores, nenhuma é legítima.

Charline é um diminutivo francês de Charles (Carlos) que vem do nome germânico Karl e significa “homem”.

Outras Linguagens: Charlize (Africano), Carolina (Germânico Antigo), Carla (Catalão), Karla, Karolina (Croata), Karolína (Checo), Karla,Charlotte, Karolina, Karoline, Lotte (Dinamarquês), Carla, Carola, Carolien, Charlotte, Lotte (Alemão), Carla, Carlene, Charla, Carolina, Charleen, Charlene,Charlotte, Lottie, Sharla, Sharleen, Sharlene, Tottie, Totty (Inglês), Karoliina (Finlandês), Carla, Carola, Karla, Carolin, Charlotte, Karola, Karolina, Karoline,Lotte (Alemão), Karola, Karolina (Húngaro), Séarlait (Irlandês), Carla, Carola, Carlotta, Carolina (Italiano), Karolina (Lituano), Karolina (Macedônico), Karla,Charlotte, Karolina, Karoline, Lotte (Norueguês), Karolina (Polonês), Carla, Carlota, Carolina (Português), Karolina (esloveno), Carla, Carlota, Carolina (Espanhol),Carola, Karla, Carolina, Charlotta, Charlotte, Karolina, Lotte, Lottie (Sueco).

Em termos de popularidade em redor do mundo, Charline entrou no ranking dos Estados Unidos em 1907 e saiu em 1948, mas nunca com popularidade que mereça crédito. Sua maior popularidade rondou o 500º lugar, e no último ranking em que constou, estava na 908ª colocação. Pudera, visto que o diminutivo favorito de Charles entre os ingleses é Charlotte.

Já na França a situação é diferente, visto que no último ranking divulgado, em 2010, Charline ostentava o confortável 107º lugar, o que nos diz que ele é bem usado mas não constituindo um popular exacerbado entre franceses.

Como referência, podemos citar Charline Labonté, uma medalhista olímpica de ouro na modalidade hóquei no gelo, nos anos de 2006, 2010 e 2014. 




.