quarta-feira, 1 de março de 2017

Germano

.


Germano é um nome masculino, usado em italiano e português. É a forma italiana e portuguesa de Germanus, um cognome romano que ao que tudo indica, significa “irmão” em latim. Este era o nome de vários santos da Igreja primitiva. Uma alteração do nome, em italiano, é Germanino.


Germano tem o mesmo significado Bror, Veli e Adelfo, e na tradição cristã, tem significado metafórico, ou seja, a fraternidade em Cristo. Algumas fontes também afirmam que o nome foi usado como significado de “real, genuíno”. Alternativamente, o nome pode derivar da palavra latina Germanus, que indicava origem étnica dos germânicos, ou seja, significando “pertencente aos alemães”. Uma última análise diria que é derivado dos termos germânicos “Ger” (lança) e “Mann” (homem), então seria “atirador de lanças”.

No Brasil, há 15.532 pessoas chamadas Germano, a maioria delas no Ceará. Os registros são equilibrados de 1940 a 1970, com uma subida razoável em 1980. Nas décadas de 90 e 2000, Germano caiu consideravelmente no Brasil. 821 pessoas, a maioria em Rondônia, resolveram registrar “Jermano”, com J.

Na lista da Arpen/SP de 2015, constam apenas 5 registros de Germano.

A forma feminina é Germana (italiano), e em outras línguas temos Germanus (romano antigo), Kerman (basco), German, Jermaine (inglês), Germain (francês), Germán (espanhol).

Vários santos levaram esse nome, especialmente, São Germano:


Germano nasceu em 496. Diz a tradição que sua mãe tentou abortá-lo e que na infância ele teria sido envenenado, mas o menino sobreviveu para tornar-se um grande santo. Foi criado por um primo bem mais velho, um ermitão chamado Escapilão, que o fez prosseguir os estudos em Avalon. Germano viveu como ermitão durante quinze anos, aprendendo a doutrina de Cristo. Em 531, ele foi ordenado diácono e três anos depois, sacerdote. Foi então para Paris, e pelos seus dons, principalmente o do conselho, ganhou a estima do rei Childeberto, que apreciava a sua sensatez. Tornou-se bispo de Paris. Germano era pródigo em caridade e esmolas, dedicando ao seu rebanho um amor incondicional. Frequentemente, era visto apenas com sua túnica, pois o restante das roupas vestira um pobre, feliz por sentir frio, mas tendo a certeza que o pobre estava aquecido. Assim viveu o bispo Germano de Paris, até morrer no dia 28 de maio de 576. Suas relíquias se encontram na majestosa igreja de São Germano de Paris, uma das mais belas construções da cidade.


Referências:

Germano, político bizantino;
Germano, general bizantino;
Germano I, Patriarca de Constantinopla;
Germano V, arcebispo ortodoxo grego;
Germano VI da Áustria, Margrave de Baden e Duque da Áustria e Estíria;
Germano d'Auxerre, bispo e santo francês;
Germano di Capua, bispo e santo italiano;
Germano di Kazan' e Svijažsk, religioso e santo russo;
Germano di Parigi, arcebispo e santo franco;
Germano Basile, ator, dublador e diretor italiano;
Germano Bellavia, ator italiano;
Germano Beringheli, crítico de arte italiano;
Germano Boettcher Sobrinho, jogador de futebol italiano;
Germano Bonaveri, cantor italiano;
Germano D'Abramo, matemático e físico italiano;
Germano De Cinque, político italiano;
Germano de Figueiredo, jogador de futebol português;
Germano Facetti, designer italiano;
Germano Gambini, jogador de basquete e dirigente esportivo italiano
Germano Germanetti, político italiano;
Germano Giustino, general bizantino;
Germano Lanino, jogador de futebol italiano;
Germano Lombardi, escritor italiano;
Germano Longo, ator, dublador e diretor italiano;
Germano Maccari, terrorista italiano;
Germano Marri, político e medico italiano;
Germano Mazzocchetti, musicista e compositor italiano;
Germano Mosconi, jornalista e apresentador de televisão italiano;
Germano Rigotto, político brasileiro;
Germano Serafin, guitarrista e violinista italiano;







.