segunda-feira, 26 de junho de 2017

Juliano

.

Juliano é a forma portuguesa de Julianus, a partir do nome romano Iulianus, um derivado de Julius, possivelmente um patronímico. Este foi o nome do último imperador romano pagão, Julianus, o apóstata (século 4). Esse também também foi portado por vários dos primeiros santos, incluindo o lendário São Juliano, o Hospitaleiro. Este nome foi usado na Inglaterra desde a Idade Média na forma inglesa, Julian, mas era também feminino, tornando-se Gillian depois.

Quanto ao seu significado, Julius vem de um nome de família romana derivado possivelmente do grego ioulos, que significa “barba aveludada”, “barba fofa”. Alternativamente, pode ser relatado como referente ao deus romano Júpiter. A família que levava esse nome reclamava para si o direito de descendência do personagem mitológico Julus, filho de Enéias. Seu membro mais notável com certeza é Julio César, conhecido por suas conquistas inteligentes, especialmente a de Gália. Depois de uma guerra civil, ele acabou sendo o ditador da República Romana, mas acabou sendo morto a facadas no Senado.

Variantes: Jolyon, Julyan (Inglês);

Diminutivos: Jools, Jules (Inglês);

Formas femininas: Gillian, Jillian, Juliana, Julianna, Julianne, Gill, Jill (inglês), Julianna (Polonês), Giuliana (italiano), Juliana (português), Juliana, Juliane (Alemão);

Outras linguagens: Iulianus (Roma Antiga), Julen (Basco), Yulian (Búlgaro), Julien (Francês), Giuliano (Italiano), Iulian (Romeno), Yulian (Russo),Julián (espanhol);

Julian tem popularidade bastante pronunciada em todo o mundo, incluindo os países dos Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Austrália, Áustria, Chile, França, Holanda, Noruega, Polônia, Suécia e Suíça. Já Juliano não consta em nenhum ranking no momento, o que faz com que ele perca significativos pontos no quesito internacionalidade.

No Brasil, é o 128º nome masculino mais usado no território desde 1930 até 2010, somando 114.597 pessoas (IBGE, Nomes no Brasil, Censo 2010). O estado onde são mais frequentes os homens chamados Juliano é o Rio Grande do Sul (mais de 19 mil deles são gaúchos). A década na qual a maioria deles nasceu foi os anos 80, assim como a versão feminina, Juliana, embora nesse caso, esse seja o nome de mais de meio milhão de pessoas em todo o Brasil.

Em termos de registros recentes, se tomarmos como parâmetro a lista da Arpen/SP, que abrange somente o estado de São Paulo, veremos que ocorreram 100 registros de Juliano no ano de 2015, o que demonstra que, embora não seja popular, é um nome ainda usado e nem tão difícil de ser encontrado entre bebês e meninos.

Juliano foi comum no Império Romano, sendo que há as seguintes referências a citar:

Juliano (imperador) — imperador romano do século IV
Severo Censor Juliano — oficial romano do século IV
Juliano de Antioquia — patriarca de Antioquia do século V
Juliano (asecreta) — oficial bizantino do século VI
Dídio Juliano - imperador romano no final do século II.
Juliano de Toledo - bispo de Toledo no século VII.
Juliano (usurpador) - usurpador romano contra o imperador Carino ou Maximiano no século III.
Juliano ben Sabar - líder messiânico dos samaritanos que liderou a fracassada revolta contra o Império Bizantino no século VI.
Juliano (imperador) - imperador romano, que reinou desde o ano 361 d.C. até a sua morte, dois anos depois.

Há também dois santos católicos chamados Juliano:

São Juliano, o Hospitalário – santo cristão do século I
São Juliano de Toledo – santo e bispo de Toledo do século VII

Fontes:

Juliano. Wikipédia.
Julianus. Wikipédia.
São Juliano. Wikipédia.
Julian. Behind The Name.
Nomes no Brasil. IBGE, Censo 2010. 




.