domingo, 25 de junho de 2017

Juscelino



Juscelino  é um nome masculino usado principalmente em português, sendo a forma do nome germânico Joscelin. Este nome ficou famoso nos livros de história, afinal, foi portado por um dos presidentes brasileiros, que governou de 1956-1961, Juscelino  Kubitschek. Joscelin por sua vez é um nome antigo entre normandos, masculino, e que está exposto no Behind The Name na grafia inglesa Jocelyn.

Todas essas grafias diferentes derivam de um nome masculino germânico, que era escrito de forma variada, como Gaudelenus, Gautselin, Gauzlin, juntamente com uma série de outras grafias. Foi derivado a partir da combinação da palavra germânica Gaut, que era o nome da tribo germânica dos Gauts, combinado com um sufixo diminutivo. Assim, pretendia-se designar um dos membros daquela etnia. Os normandos trouxeram esse nome para a Inglaterra na forma Goscelin ou Joscelin, e foi comum entre homens até o século 14.

Depois, a partir de uma alteração ou adaptação do sobrenome Jocelyn, passou a ser usado como nome feminino a partir do século 20. Na França ainda continua sendo apenas nome masculino.

Em outras linguagens temos Gautselin, Gozzo (germanico antigo), Jocelyn (inglês), Josselin (francês), Gosse (francês medieval).

No Brasil, há 8.915 pessoas chamadas Juscelino , sendo que isso faz dele o 805º nome masculino mais registrado no país entre 1930-2010, segundo o IBGE. O estado onde ele é mais frequente é o Piauí, mas ele tem destaque também em outros estados nordestinos. A maioria dos nascimentos de Juscelino  se deu nos anos 60, justamente seguindo-se o final do presidente Juscelino  Kubitscheck, conhecido também como JK.

A grafia que pegou mesmo no Brasil foi Jucelino , que tem 23.748 pessoas e é o 403º nome mais comum para homens no período da pesquisa. Essa grafia também tem destaque nos anos 60 e é mais fácil de ser encontrada no Acre. Temos ainda, 4.879 pessoas com a grafia Jocelino


Fora o presidente JK, temos uma serie de jogadores de futebol homônimos e também alguns políticos, entre deputados estaduais, federais e governadores – possivelmente seguindo a carreira daquele que homenagearam ao serem batizados. 



.